Cuidado com cães idosos

A partir dos nove anos, cães e gatos já são considerados idosos e, assim como os humanos, estão mais suscetíveis a doenças decorrentes da velhice. Contudo, hoje já existem formas de fazer com que o bichinho passe por essa fase com bastante saúde e até que faça companhia ao dono por mais tempo. Pode parecer que os cães apresentam mais doenças do que os gatos, mas a grande diferença é que os bichanos são mais discretos para mostrar os sintomas.

Mais saúde para o pelo

O banho e a tosa devem ser realizados regularmente, dependendo do tipo de pelagem da mascote. A escovação também não deve ser esquecida e, se necessário, o médico pode recomendar a utilização de suplementos com ômega 3 ou ômega 6. O controle de pulgas e carrapatos deve ser realizado a cada 30 dias.

Ouvidos sempre secos

Nunca deixe entrar água nos ouvidos dos animais. Sempre que forem tomar banho, a região deve ser protegida para evitar o problema. Avaliações periódicas com o próprio veterinário do animal são de extrema importância e ele pode até recomendar a limpeza com uma solução específica para essa região do corpo.

Olhos livres de secreção

É importante que eles sejam analisados em todas as consultas periódicas com o médico veterinário. Se apresentar secreção, não conseguir abri-los ou ficarem vermelhos, um oftalmologista deve ser procurado com a maior urgência possível. Outra dica é realizar a limpeza com solução específica para os olhos, uma vez por semana, ou de acordo com a necessidade do animal.

Dentes limpos

Eles devem ser escovados, de preferência, todos os dias. O processo fica ainda mais fácil se forem condicionados desde filhotes, mas sempre é possível aprender. Avaliações anuais mais específicas, principalmente para as raças pequenas, que são mais sujeitas a problemas periodontais, também são importantes desde os cinco anos de idade. Se for identificada a presença de tártaro deve-se procurar um profissional para retirá-lo sempre que necessário.

Coluna no prumo

Se o animal apresentar qualquer sinal de dor, o veterinário deve ser procurado. Evite também que ele suba e desça escadas ou que escale nos móveis para, depois disso, saltar. Use peitoral no lugar da coleira e controle o peso para que a coluna não fique sobrecarregada. Acupuntura e fisioterapia podem ajudar a controlar tanto a dor quanto doenças degenerativas. Também existem suplementos que, dependendo da recomendação do especialista, podem ser muito úteis.

COMO FICA A ALIMENTAÇÃO?

A ração deve ser trocada de acordo com as necessidades do animal e com o seu tempo de vida. Se ele estiver saudável, é recomendado, para a maioria das raças, que faça uso das versões Senior a partir dos sete anos de idade. Se forem obesos, sedentários, castrados, ou com alguma enfermidade, devem utilizar os modelos light ou medicinais, seguindo a indicação do médico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *